Topo
Blog Página Cinco

Blog Página Cinco

Em dúvida do que ver na Bienal do Livro do Rio? Aposte nessas dez mesas

Rodrigo Casarin

27/08/2019 10h18

Luis Fernando Verissimo.

Nesta sexta, dia 30, começa a 19ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio. O evento vai até o dia 8 de setembro e mais de 300 autores passarão pelo Riocentro para bate-papos, apresentações e sessões de autógrafos – toda programação pode ser vista aqui. Dentre as atrações internacionais, gente como Henrik Fexeus, Mark Manson, CJ Tudor e Rachael Lippincott. Sei que os leitores desses escritores há tempos anotaram na agenda quando eles estarão no evento. Também sei que os fãs de figurões nacionais sempre presentes nas bienais do Rio e de São Paulo, como Mauricio de Sousa e Mario Sergio Cortella, estão atentos às mesas com seus ídolos. Indo além dessas dicas que seriam um tanto óbvias, deixo aqui dez encontros interessantes que rolarão na Bienal. Se estivesse pelo Rio, faria um esforço para acompanhá-los:

Oficina "Da Minha Janela eu Desenho"
Pela Estrada Afora…, dia 30, das 13h45 às 14h15
Com Otávio Júnior e Vanina Starkoff
Conhecido como "Livreiro do Alemão", Otávio se desdobra para espalhar o valor da leitura pelas comunidades do Rio de Janeiro. "Da Minha Janela", seu livro mais recente, um infantil, está saindo pela Companhia das Letrinhas com ilustrações de Vanina Starkoff, que fará desenhos ao vivo enquanto o escritor conta suas histórias. Uma pena que a oficina seja tão curta, com apenas 30 minutos.

A História da Escravidão no Brasil
Café Literário, dia 31, às 15h
Com Laurentino Gomes. Mediação de Flávia Oliveira
Tem tudo para ser um dos encontros mais disputados da Bienal. Autor dos best-sellers "1808", "1822" e "1889", o jornalista e escritor Laurentino Gomes acabou de lançar o primeiro volume de sua nova trilogia, um profundo mergulho na história da escravidão no Brasil. Na semana passada eu conversei com o autor sobre "Escravidão – Do Primeiro Leilão de Cativos em Portugal Até a Morte de Zumbi dos Palmares" (Globo Livros), o papo está aqui.

Maria Valéria Rezende.

Pequenos Grandes Contos
Café Literário, dia 31, às 17h
Com Sérgio Rodrigues, Gustavo Pacheco e Marcelo Moutinho. Mediação de Mateus Baldi
Time de peso para conversar sobre contos. Sérgio acabou de lançar o bom, apesar de metaliterário demais em alguns momentos, "A Visita de João Gilberto Aos Novos Baianos" (Companhia das Letras) – falei sobre ele aqui. Moutinho é autor de "Ferrugem" (Record), livro que levou o Biblioteca Nacional de 2017 e, tão importante quanto, me serviu de inspiração para que escrevesse sobre Messi e Higuaín durante a Copa da Rússia (aliás, numa mesa com Moutinho e Sérgio, do incontornável "O Drible", espero que Baldi coloque o futebol na pauta). Gustavo Pacheco, enfim, assina "Alguns Humanos" (Tinta da China), volume que cansou de arrancar elogios da crítica.

O Clube dos Anjos
Arena #SemFiltro, dia 31, às 19h
Com Luis Fernando Veríssimo, Angelo Defanti, Otávio Muller e Matheus Natchergaele. Mediação de Clélia Bessa
Não é segredo para ninguém que o grande e tímido Luis Fernando Veríssimo é muito melhor escrevendo do que falando – costuma ser lacônico com o microfone em mãos. Em todo caso, estará acompanhado de um time de respeito, que com certeza ajudará a dar dinamismo à mesa sobre a adaptação do seu "Gula – O Clube dos Anjos" (Alfaguara), livro de 1998.

História das Histórias
Café Literário, dia 1º, às 16h
Com Maria Valéria Rezende e Mary Del Priore. Mediação de Clarisse Fukelman
Freira e escritora cheia de boas histórias para contar, Maria Valéria Rezende lançou há alguns meses "Carta À Rainha Louca" (Alfaguara), romance formado por cartas que Isabel das Santas Virgens, presa no convento do Reconhecimento da Conceição, em Olinda, escreveu para a rainha Maria I, mas conhecida como a Rainha Louca, no final do século 18. Tem tudo para render bom papo o encontro de Valéria com Mary, historiadora que assina a preciosa coleção "Histórias da Gente Brasileira" (Leya) e que publicou recentemente "As Vidas de José Bonifácio" (Estação Brasil).

Conceição Evaristo.

A Era das Fake News
Café Literário, dia 6, às 19h
Com André Fran, Clóvis de Barros Filho e Chico Otávio. Mediação de Leonardo Cazes
O tema é urgente e a composição da mesa é boa. Destaque para o jornalista André Fran, que no programa "Que Mundo É Esse?" já rodou pelo leste europeu para conhecer o nascedouro de algumas notícias falsas que causaram (e ainda causam) grande impacto global.

Machado de Assis e a Literatura Negra
Café Literário, dia 7, às 11h
Com Conceição Evaristo, José Almeida Júnior e Eduardo de Assis Duarte. Mediação de Simone Magno
Num momento de reafirmação de Machado de Assis como escritor negro, relevante termos Conceição Evaristo, certamente a escritora negra brasileira mais festejada dos últimos tempos, discorrendo sobre o assunto.

Sobre Autoritarismos e Democracias
Café Literário, dia 7, às 13h
Com Steven Levitsky e Lilia Schwarcz. Mediação de Marcelo Lins
Autor de "Como as Democracias Morrem" (Zahar), um dos livros mais importantes dos últimos anos, o cientista político Steven Levitsky pode ter um olhar interessante sobre o momento que o Brasil vive. Se não, a onipresente historiadora Lilia Schwarcz talvez ajude a fazer a conexão entre as ideias de Steven e a nossa preocupante realidade.

Miriam Leitão.

Diversidade, Substantivo Plural
Café Literário, dia 7, às 17h
Com João Silvério Trevisan, Tobias Carvalho e Jaqueline Gomes de Jesus. Mediação de Paula Cesarino
Ativista com papel histórico na luta da comunidade LGBT, autor do monumental "Devassos no Paraíso" (Companhia das Letras) e de "Pai, Pai" (Alfaguara), um dos melhores livros da literatura nacional deste século, João Silvério Trevisan é alguém que merece ser ouvido (e mais reconhecido; aqui uma entrevista que fiz com ele). Curioso para saber como será a troca de ideias principalmente com o jovem e promissor Tobias Carvalho, vencedor do Prêmio Sesc do ano passado na categoria contos com "As Coisas" (Record).

Um Longo Olhar Sobre o Brasil
Café Literário, dia 8, às 19h
Com Mário Magalhães, Miriam Leitão e Melina Risso. Mediação de Bernardo Mello Franco
Em junho, o jornalista Mário Magalhães lançou "Sobre Lutas e Lágrimas – Uma Biografia de 2018" (Record), ano no qual, segundo o autor, o Brasil foi palco de um embate entre a civilização e a barbárie. Difícil discordar. Miriam recentemente foi alvo dessa barbárie que avança no país, tendo sido desconvidada para a Feira do Livro de Jaraguá do Sul após moradores da cidade contrários à participação da jornalista enviarem aos organizadores do evento ameaças de ataques à intelectual. Boa escolha para ser a última mesa da Bienal.

Você pode me acompanhar também pelas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube e Spotify.

Sobre o autor

Rodrigo Casarin é jornalista pós-graduado em Jornalismo Literário. Vive em São Paulo, em meio às estantes com as obras que já leu e às pilhas com os livros dos quais ainda não passou da página 5.

Sobre o blog

O blog Página Cinco fala de livros. Dos clássicos aos últimos sucessos comerciais, dos impressos aos e-books, das obras com letras miúdas, quase ilegíveis, aos balões das histórias em quadrinhos.