Blog Página Cinco

Casca de noz: já foi moda ler Stephen Hawking (ainda que sem entender nada)

Rodrigo Casarin

14/03/2018 09h23

O gênio experimentando a gravidade zero.

Não lembro exatamente quando foi, só sei que faz tempo e que era neste século – afinal, o livro foi originalmente lançado em 2001, no Reino Unido -, mas já foi moda as pessoas lerem Stephen Hawking por aí. Recordo que era bastante comum ver gente circulando com ele em mãos, presenteando e sendo presenteada com a edição da Nova Fronteira – com sua capa escura, linda, enigmática – desse, digamos, clássico da física pretensamente popular moderna.

“O Universo Numa Casca de Noz” sucedeu “Uma Breve História do Tempo”, que já tinha feito bastante sucesso – ambos saem atualmente pela Intrínseca. Em “O Universo…”, Hawking procura apresentar ao leitor algumas das descobertas teóricas mais relevantes da física. Para tal, utiliza-se de desenhos, fotos e exemplos banais que fazem parte do cotidiano de qualquer pessoa, mas não que isso torne exatamente fácil entender conceitos como dualidade, supergravidade, teoria-M e a teoria quântica.

Então, digo pretensamente popular porque, na prática, lembro que perguntava, por curiosidade, para alguns leitores do que o livro se tratava e o que eles estavam entendendo. A resposta era quase sempre a mesma: algo na linha de “ah, é sobre como funciona o universo” e “olha, para falar a verdade, não estou entendendo muita coisa, não”. Mas tudo bem. Ler Hawking, ainda que sem entendê-lo plenamente – ou até mesmo minimamente -, já é muito melhor do que compreender bem um monte de bobagens que temos por aí.

Nesta noite o gênio que virou best-seller nos deixou e não há deus nem estrelas lhe aguardando – seria uma falta de respeito às próprias convicções do físico atrelá-lo a qualquer misticismo. Seu pensamento continuará vivo por aqui por muito tempo, contudo. Afinal, o cara ajudou a entendermos – ou tentou ajudar a entendermos – um pouco melhor essa casca de noz onde vivemos.

Gostou? Você pode me acompanhar também pelo Twitter e pelo Facebook.

Sobre o autor

Rodrigo Casarin é jornalista pós-graduado em Jornalismo Literário. Vive em São Paulo, em meio às estantes com as obras que já leu e às pilhas com os livros dos quais ainda não passou da página 5.

Sobre o blog

O blog Página Cinco fala de livros. Dos clássicos aos últimos sucessos comerciais, dos impressos aos e-books, das obras com letras miúdas, quase ilegíveis, aos balões das histórias em quadrinhos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Topo