Blog Página Cinco

Prêmios consagram J. Fuks e B. Bracher e escancaram concentração editorial

Rodrigo Casarin

08/12/2016 11h08

beatriz

Na terça foram anunciados os vencedores do Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa e, com isso, a temporada das honrarias literárias pelo país (ou as principais delas, ao menos) chega ao fim. Com foco nos trabalhos de ficção adulta (romances, novelas, contos e poesia), levantei os vencedores das distinções prestigiadas para chegar a algumas conclusões (e umas tantas dúvidas). Antes, vale repassar os agraciados:

Prêmio São Paulo de Literatura
Romance do ano: “Anatomia do Paraíso”, Beatriz Bracher (Editora 34)
Romance de autor estreante com mais de 40 anos: “A Imensidão Íntima dos Carneiros”, Marcelo Maluf (Reformatório)
Romance de autor estreante com menos de 40 anos: “Rebentar”, Rafael Gallo (Record)

resistrniaJabuti
Livro do ano de ficção: “A Resistência”, Julián Fuks (Companhia das Letras)
Romance: “A Resistência”, Julián Fuks (Companhia das Letras)
Contos e Crônicas: “Jeito de Matar Lagartas”, Antonio Carlos Viana (Companhia das Letras – in memoriam) e “Amora”, Natalia Borges Polesso (Não-editora)
Poesia: “Agora Aqui Ninguém Precisa de Si”, Arnaldo Antunes (Companhia das Letras)

Biblioteca Nacional
Contos: “Antes que Seque”, Marta Barcellos (Record)
Romance: “Desesterro”, Sheyla Smanioto (Record)
Poesia: “Poesia Reunida”, Adélia Prado (Record)

Prêmio Rio de Literatura
Melhor obra de ficção: “Anatomia do Paraíso”, Beatriz Bracher (Editora 34)

Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa
1º lugar: “Galveias”, José Luís Peixoto (Companhia das Letras)
2º lugar: “A Resistência”, Julián Fuks (Companhia das Letras)
3º lugar: “O Livro das Semelhanças”, Ana Martins Marques (Companhia das Letras)
4º lugar: “Maracanazo”, Arthur Dapieve (Alfaguara)

Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte, que premia livros do ano corrente)
Romance/ Novela: “Como Se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas”, Elvira Vigna (Companhia das Letras)
Poesia: “Rol”, Armando Freitas Filho (Companhia das Letras)
Contos/ Crônicas: “A(s) Mulher(es) que Eu Amo”, Eros Grau (Globo Livros)

anatomia do paraisoOlhando para os prêmios, faço cinco considerações:

Consagrados: Os paulistanos Julián Fuks e Beatriz Bracher foram os autores dos dois grandes livros de 2015. Com “A Resistência”, ele levou para casa dois Jabutis (Ficção do ano e Romance), o segundo lugar do Oceanos e ainda foi finalista do Prêmio São Paulo. Ela, por sua vez, venceu justamente o São Paulo com “Anatomia do Paraíso”, que também ganhou o Rio de Literatura.

Concentração editorial: Os premiados escancaram uma enorme concentração editorial brasileira: 10 prêmios foram para o Grupo Companhia das Letras (do qual a Alfaguara faz parte), quatro para o Grupo Record, dois para a 34 (pelo o mesmo livro), um para a Globo, um para a Não-editora e um para a Reformatório.

Por que 14 dos 19 prêmios listados foram para apenas duas casas – uma dezena deles para o mesmo grupo editorial -, sendo que há centenas delas pelo país? Os melhores editores brasileiros estão, indiscutivelmente, nessas casas ou a maneira que os jurados dos prêmios encaram a literatura é a mesma desses editores? Quanto o nome do autor e da editora pesam em uma decisão? Perguntas precisam ser feitas e o problema deve ser discutido. Uma pluralidade maior aqui seria muito bem-vinda.

Prêmio Sesc: Três autores que se destacaram este ano foram revelados pelo Prêmio Sesc de Literatura, sendo dois deles com os livros premiados pela instituição: “Antes que Seque”, de Marta Barcellos (ganhou o Biblioteca Nacional na categoria Contos), e “Desesterro”, de Sheyla Smanioto (que, além de vencer o Biblioteca Nacional de Romance, foi finalista do São Paulo de Literatura dentre os autores estreantes com menos de 40 anos e ficou com o terceiro lugar do Jabuti em romances). Rafael Gallo também é uma “prata do Sesc”, prêmio que venceu em 2012 com “Revéillon e Outros Dias” – agora, com “Rebentar”, foi um dos vencedores do São Paulo.

Isso comprova que a instituição, que tem parceria com a Record para publicar os livros vencedores de cada ano, está fazendo um trabalho respeitável de garimpagem entre novos nomes. Este ano o Prêmio Sesc da categoria Contos foi para “Receitas Para se Fazer um Monstro”, de Mário Rodrigues, e, em Romance, para “Céus e Terra”, de Franklin Carvalho. Aguardemos o desempenho deles nas premiações do ano que vem.

Edyr Augusto_PssicaApostas: Outros prêmios, aliás, poderiam se inspirar no Sesc e passar a olhar para autores inéditos. A ação sem dúvidas ajuda a arejar o cenário literário nacional. Dos concursos que citei inicialmente, apenas o Rio de Literatura já faz algo nessa linha, ainda que com um recorte regional: neste ano, Izabela Guimarães Guerra Leal ganhou na categoria Melhor Novo Autor Fluminense por “A Intrusa”. O prêmio ainda fez uma menção honrosa a Clara Ferrer, outra nova autora do Rio de Janeiro, por “Amores Monstruosos”.

O injustiçado: Da minha parte, o meu romance preferido lançado em 2015 nada ganhou: “Pssica”, de Edyr Augusto (Boitempo), que ficou entre os quatro finalistas do APCA do ano passado e parou na semifinal do Oceanos deste ano. É um livro brutal, impiedoso, construído com uma linguagem seca, direta e implacável, que fala de prostituição e tráfico de escravas brancas em uma trama cheia de violência, corrupção, marginalidade e sexo. Edyr é o tipo de autor que consegue escancarar o que há de pior no ser humano. Então, mesmo sem nenhum troféu, deixo aqui a minha recomendação de leitura.

Sobre o autor

Rodrigo Casarin é jornalista pós-graduado em Jornalismo Literário. Vive em São Paulo, em meio às estantes com as obras que já leu e às pilhas com os livros dos quais ainda não passou da página 5.

Sobre o blog

O blog Página Cinco fala de livros. Dos clássicos aos últimos sucessos comerciais, dos impressos aos e-books, das obras com letras miúdas, quase ilegíveis, aos balões das histórias em quadrinhos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Topo