Topo
Blog Página Cinco

Blog Página Cinco

Editora prepara coletânea de poemas inspirados em super-heróis

Rodrigo Casarin

22/10/2015 09h30

escriptonita capa

A editora Patuá lançará até o final de novembro uma coletânea de poemas um tanto inusitada. "Escriptonita: Pop/Poesia, Mitologia-remix & Super-heróis de Gibi" será uma antologia que reunirá escritos de mais de 50 poetas brasileiros, dentre eles nomes como Alberto Lins Caldas, Demetrios Galvão e Fred Vieira. O norte para os versos de cada autor, como o título da obra deixa explícito, é o universo pop, passando por desenhos animados, filmes de ficção científica e, claro, super-heróis dos quadrinhos. Os responsáveis pela organização da obra são os escritores Alberto Bresciani, Alexandre Guarnieri, Jorge Elias Neto e Nuno Rau.

Veja alguns poemas que estarão em "Escriptonita":

A bat-solidão (Roberto Dutra Jr.)

O cheiro de amônia.
O constante murmúrio sem formas vindo do teto.
Já quase não se contém com a dor da clavícula deslocada.
A umidade parece intensificar o cansaço.
O carro vaza óleo e a sopa servida esfria.
Cair pesado na cadeira, obscurecido e sem pensamentos.
Embaixo da capa a obsessão e determinação embaralham limites.
Os meios para uma causa também são os meios
para um ego incansável e que nunca admite derrota.
Os monitores nunca desligam.
As pálpebras cansadas se abrem novamente com a picada da sutura.

Sem anestesia.


Oitava maravilha (Ana Farrah)

E no intento de melhorar
a raça humanoide
Deus se reuniu com os anjos
para um brainstorming
um marqueteiro celestial sugeriu
que fosse dessas mulheres fortes
capazes de matar uma barata
sem sentir nojo ou pena
falaram em beleza, coragem,
super-poderes, inteligência

Durante o break,
o anjo mais novo do paraíso
aspirante à propagandista,
chama Deus prum cantinho do salão
"Senhor, desculpe a intromissão"
"que tal se essa nova criatura
fosse a heroína da televisão,
a encarnação da própria Diana,
porém com poderes mais nobres,
digamos, mais humana?"
"Como assim, meu jovem anjo?"

E foi assim que nasceu a nova Geni,
mulata descida do morro, super-mulher,
olhos acinzentados, pernas quilométricas,
ancas proporcionais, bunda perfeita,
moldada a feijão, samba e ladeira.
Amava a todos, com amor de curandeira.
Tinha as lindas mãos mais macias
que a pétala da tulipa negra.
E a língua mais dócil e fácil
que uma cobra ágil, mas domesticável.


Check-In (Greta Benitez)

Não me importa entrar pela porta arabescada
Do desespero
Descer
Inferno
Destempero
Desequilíbrio
Certas cordas sem rede de proteção
Fogo
Carvão
Súcubos
Exus
Sereias amaldiçoadas, super-heróis do avesso
Nada disso me assusta
Se tiver certeza de que na saída
Eu estarei do lado de fora esperando por mim.


Homem-Signo (Fred Vieira)

o homem perceptível apenas por indícios
vestígios, traços, não mais é indivíduo
mas signo, um pictograma
que anda, interage, fala
tão expressivo quanto o imaginário
frente o desconhecido

sem mais as mãos / o corpo / o rosto
mas contornos / e traços / somente
ele não quer ser homem / mas um homem-signo


Mulher-amarga vida (Jorge Elias Neto)

Esse olhar suspeito
em meus peitos
― maravilhas americanas ―
sob listras nacionalistas
se confunde
enquanto, alucinada, rodopio
e visto minha tiara

não sou sexo, não sou foda
sou a sádica do chicote

por fora dourada
e dentro
uma TPM do cacete.


SE VOLTARES PARA ZENN-LA (Adriano Lobão Aragão)

Para o Surfista Prateado

se voltares para zenn-la
roga para tua jornada
ser mais breve que a eternidade

roga para teu nome
ainda ecoar insone
entre os lábios de shalla-bal

se voltares para zenn-la
roga para o reflexo
de teu corpo agora prateado
conter somente a imagem exata
do saudoso corpo de tua amada
onde habita a vastidão de teu desejo
bem maior que a fome
daquele que devora mundos

Sobre o autor

Rodrigo Casarin é jornalista pós-graduado em Jornalismo Literário. Vive em São Paulo, em meio às estantes com as obras que já leu e às pilhas com os livros dos quais ainda não passou da página 5.

Sobre o blog

O blog Página Cinco fala de livros. Dos clássicos aos últimos sucessos comerciais, dos impressos aos e-books, das obras com letras miúdas, quase ilegíveis, aos balões das histórias em quadrinhos.